História do Instituto

O Camões, I.P.  surge em 2012 da fusão entre o Instituto Camões e o Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento.

No formato atual, o Camões, I.P. assume a responsabilidade de coordenar e executar a política de cooperação e promoção da língua e cultura portuguesa no estrangeiro.

Sede

Sede


O Camões, I.P. tem como sede o Palacete de Seixas, situado na Avenida da Liberdade nº. 270. Trata-se de uma antiga residência familiar construída no inicio do séc. XX, com uma arquitetura de influência romântica da Escola Francesa.

Após uma sucessão de diversos proprietários, um grave incêndio e ser classificado como um imóvel de valor nacional, é transferido como propriedade do Estado em 1989 para se tornar a sede do Camões, I.P..

Evolução histórica

A ilustração da linha temporal identifica os principais momentos de transformação da instituição.

 

linha temporal

Legenda:

  • JEN - Junta de Educação Nacional
  • ICE – Instituto da Cooperação Económica
  • DGC – Direção Geral da Cooperação
  • FCE – Fundo para a Cooperação Económica
  • GCC – Gabinete Coordenador da Cooperação
  • CCEF – Comissão Coordenação das negociações nos domínios Económico e Financeiro
  • IAC - Instituto de Alta Cultura
  • ICAP - Instituto de Cultura Portuguesa
  • ICALP - Instituto de Cultura e Língua Portuguesa
  • IC - Instituto Camões
  • ICP - Instituto da Cooperação Portuguesa
  • APAD - Agência Portuguesa de Apoio ao Desenvolvimento
  • IPAD - Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento
  • Atualmente: Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I. P.
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.